Sobre a Lucis

Introdução

Pela primeira vez na história da humanidade, o mundo reconhece e aceita sua responsabilidade de procurar o justo bem-estar da raça humana. Há um só mundo.

No entanto, tais responsabilidades até agora foram admitidas e aceitas no nível físico e material, aplicando ao sofrimento humano apenas medidas terapêuticas puramente materiais, como se aplica uma bandagem a uma ferida.

Embora o bem-estar físico, a segurança e a condição de se ver liberado das necessidades devam prevalecer em uma sociedade estável e bem ordenada, isso não é suficiente; é imprescindível alcançar a unidade internacional, desenvolver o espírito de colaboração entre os homens, povos e nações do mundo. É o que nos protegerá de outras feridas autoinfligidas ao corpo da humanidade.

A separação física, a disparidade de oportunidades, a riqueza e a pobreza extremas que causam fricção, competição desenfreada e guerra entre os homens, deve-se a que não se reconhece nem se atua de acordo com o conceito espiritual essencial de que a humanidade é Una.

Com efeito, a inter-relação da humanidade é muito estreita, sendo tal a sua interdependência espiritual, mental e psicológica que qualquer solução permanente dos problemas humanos que dividem e crucificam a humanidade deve se basear nesta premissa e na escala espiritual de valores que, na realidade, substituirá os benefícios materiais que o homem anseia. O desejo pelos bens materiais e poder material deverão ser substituídos pela aspiração espiritual.

As somas de dinheiro destinadas a aliviar o sofrimento e as necessidades, embora tenham sido suficientes para satisfazê-las, não resolvem. O novo voluntariado que despertou na atual humanidade precisa ser promovido e impulsionado e é necessário fortalecer a educação espiritual da mente humana, com o fim de reconhecer e praticar os princípios sobre os quais uma sociedade sadia e interativa deve se basear.

Muitas pessoas doam tempo, energia, capacidade e dinheiro para desenvolver o propósito que impulsiona a Fundação Lucis: ajudar a demonstrar que existe um mundo Uno, uma Humanidade Una e um só Deus.

Criação e Atuação

A Fundação Lucis foi criada na década de quarenta em Buenos Aires. Foi constituída em 14 de setembro de 1957 e se tornou pessoa jurídica em 7 de outubro de 1960.

Seu objetivo consiste em:

“Fomentar o estudo das religiões comparadas, a filosofia, a ciência e a arte; estimular toda ideia e propósito que tenda a ampliar a compreensão entre os homens, a expansão das relações pacíficas na humanidade, a difusão de literatura de caráter ético, estético e educativo e a consagração a todo tipo de atividade que tenda a aliviar o sofrimento humano.”

A Fundação Lucis é uma organização de serviço mundial sem fins lucrativos. O dinheiro que recebe é aplicado na promoção de atividades relacionadas com o estabelecimento de corretas relações humanas e na colaboração e participação mundiais.

Propósito

A Fundação Lucis tem como propósito substituir o atual materialismo existente nas relações humanas e internacionais e nos assuntos mundiais pelos valores espirituais. A frase “valores espirituais” tem um amplo significado. Expressa um esforço includente para a melhoria, a elevação e a compreensão humanas; inclui a tolerância com relação a todos os credos, pontos de vista honestos e sinceros e pensamentos que levem ao desenvolvimento integral do ser humano e à subordinação do autointeresse para o benefício de todos e, ao mesmo tempo, proclama o valor supremo do individuo. Especificamente, inclui tudo o que tende à unidade e à síntese internacionais.

A Fundação Lucis não tem formulações dogmáticas da verdade. O impulso motivador é o amor de Deus, quando atua como amor à humanidade e serviço à raça humana. Há um só Deus.

Atividades

A Fundação Lucis, de acordo com as bases fundamentais da instituição, realiza a edição e difusão dos livros de Alice A. Bailey, amanuense de O Tibetano; traduzidos pelo grupo precursor da Instituição sob o impulso e a autorização expressa da autora. A Fundação Lucis supervisiona a Escola Arcana nos idiomas espanhol e português e impulsiona suas atividades de serviço: Boa Vontade (Serviço em Ação) e Triângulos (Serviço em Cooperação).

Os Livros Editados pela Fundação Lucis

A Fundação Lucis, através dos seus fundadores, em consonância com a difusão dos Ensinamentos desde fins da década de quarenta, aceitou e assumiu a responsabilidade da tradução de todos os livros do inglês para o espanhol e a edição dos mesmos, por sugestão e autorização expressa da autora, Alice A. Bailey.

A Publicação dos livros é financiada por um Fundo para os Livros de O Tibetano, que consiste em um capital destinado a perpetuar os ensinamentos do Mestre Tibetano e de Alice A. Bailey em espanhol em todas as partes do mundo.

Para aprofundar sobre o conteúdo, a proposta e os postulados para o estudo, consulte na barra de menu: “Livros”.

Escola Arcana

O estudo proposto pela Escola é autodidata e realizado por correspondência, enfatizando o conhecimento de si mesmo, a busca do aperfeiçoamento através do desenvolvimento da autoconsciência e da consciência grupal, baseando-se nos princípios da Sabedoria Eterna e em fundamentos filosóficos e psicológicos profundos, para alcançar oequilíbrio e a harmonia no viver e no Ser. A intenção que guia o Grupo de Secretários, que supervisiona os trabalhos e acompanha os estudantes, consiste em ajudá-los a pensar por si mesmos pondo à sua disposição a experiência conjunta do grupo.

A Escola Arcana não ministra aulas presenciais, nem realiza exames. Não há cota estabelecida para os estudos de treinamento; o estudante decide voluntariamente sobre sua contribuição. É não sectária e apolítica.

Breve História da Escola

No ano de 1931, o Mestre Djwhal Khul inicia o treinamento de um grupo de aproximadamente quarenta e cinco pessoas, entre as quais figurava Francisco Brualla, a quem posteriormente sugeriu que difundisse os Ensinamentos na América Latina. Assim, sob o nome de Sophia, Francisco Brualla deu início a esta tarefa em Buenos Aires.

Em fins da década de quarenta, Alice A. Bailey, fundadora da Escola Arcana, propôs, de Nova York, aos continuadores da obra de Francisco Brualla em Buenos Aires, que assumissem o treinamento dos estudantes latino-americanos, seguindo a metodologia da Escola Arcana.

Para mais informações sobre os Ensinamentos da Escola Arcana, consulte na barra de menu “Escola Arcana”.

Estes ensinamentos são difundidos em inglês e em outros idiomas pela Lucis Trust:

Em Nova York

Lucis Trust120 Wall Street — 24th Floor — 10005 New York — N.E. USA

Em Londres

Lucis Trust3 White Hall Court, Suite 54 — London SW 1A 2EF — Inglaterra

Em Genebra

Lucis Trust1 Rue de Varembé 3è — Case Postale 31 — 1211 Genebra 20 — Suíça

Boa Vontade Mundial

O principal propósito de Boa Vontade é estabelecer corretas relações humanas, compreensão mútua entre as nações e colaboração mundial, mediante a aplicação prática do princípio de boa vontade. Este propósito baseia-se no reconhecimento de que é no futuro onde reside a ação cooperativa inteligente dos homens e mulheres de boa vontade de todo o mundo que respondem à nova consciência humana.

Esse reconhecimento, a ação cooperativa inteligente e a colaboração estendem-se a indivíduos e grupos que empregam a energia da boa vontade segundo suas modalidades e circunstâncias, e por meio de suas atividades organizadas prestam serviço às necessidades humanas, solucionando os problemas sem distinção de raças, credos ou classes. Boa Vontade é uma atividade essencialmente educativa e consiste em:

1. Difusão da energia de Boa Vontade, despertando essa energia latente em todo coração humano. A Fundação Lucis realiza esta difusão oferecendo material de BOA VONTADE MUNDIAL e mediante a publicação da revista de título “O SERVIDOR”.

2. Colaboração na preparação para o Reaparecimento do Instrutor do Mundo, promovendo as corretas relações humanas e mediante a distribuição da Grande Invocação e dos Livros de Alice A. Bailey.

3. Distribuição de material de estudo e análise sobre os Problemas da Humanidade.

Triângulos

As atividades de Boa Vontade são financiadas pelas doações voluntárias de homens e mulheres de boa vontade, interessados em manter e expandir este serviço para a humanidade.

A atividade de Triângulos foi criada pelo Tibetano para estimular o aumento das corretas relações humanas. Trata-se de um esforço para unir homens e mulheres de ideias similares em um serviço espiritual de boa vontade.

É uma atividade mental que emprega o poder do pensamento e da oração para invocar luz e boa vontade para o gênero humano.

O trabalho de Triângulos é realizado por grupos de três pessoas que se unem diariamente em pensamento e propósito, vinculadas em uma Rede mundial, para transmitir a boa vontade iluminada entre os povos do mundo. Cria-se, assim, um “clima espiritual” mundial de luz e amor sobre a humanidade.